Τετάρτη, 26 Ιουνίου 2013

POR UMA FRENTE ÚNICA ANTIFASCISTA EM DEFESA DE NOSSAS BANDEIRAS - IN DEFENSE OF THE RIGHT TO DEMONSTRATE AND PARTY ORGANIZATION


FOR AN ANTI-FASCIST FRONT IN DEFENCE OF OUR BANNERS

The right is hunting and expelling
the left of the manifestations
For an anti-fascist front to defeat the
handling of mass protests by right!





If depended on traditional mass organisations (trade unions, federations, Central associations and trade unions) and Vanguards (opportunistic, and centrist parties), the mass movement that nationalized in recent days would not exist. The first are mainly co-opted by the federal Government, the latter are polarized by the PT or the right opposition (PSDB, DEM, PPS), STF, etc. The current demonstrations were born of a deep and growing popular dissatisfaction that has drop d ´ water the brutal police repression against protests by reducing the price of tickets and the free pass in collective transport. Without doubt the movement was born spontaneously and this was his initial force. But what until this third week of June was the strength of the movement, the semi spontaneous youth rebellion, begins to reveal his weakness.



The ideological reaction that gained momentum since the capitalist restoration in the USSR and Eastern Europe, the popular rejection of legitimate parties left opportunists, Lula and Dilma Governments integrated, and the very fact that the ideas and prejudices are the dominant ideas of the ruling class favor the capitalization of popular dissatisfaction by antipartyism and by reactionary nationalist cross-dressed right, ethics in politics, etc. With the help of the great reactionary media, that there is already some years attempts to win the middle classes and create artificial street demonstrations "against the monthly allowance", now if camouflages of protester and raises the head inside of the protests and begins hunting and expelling the leftist militancy of the acts.


IN DEFENSE OF THE RIGHT TO DEMONSTRATE AND PARTY ORGANIZATION



As aggravating, the character horizontalist, semi-autonomous of its direction, the movement by the free pass, allows easily the infiltration and the right-wing fascist movement assault that need to expel the left of its manifestations to best handle them. The flags and attacks militants of PCO, PCR, PSTU that we have seen recently in the national TV network are an example of what we are saying. In this way, the revolucionarism anti-party fascism burgeons. In a practical way but empirical, the demonstrations of the day 17/6, the LC held a front of action with the PCO against right and police departed. But this type of front is not sufficient, it is necessary to plan our defense, organizing it from a House of organizations claim the working class by a single band of anti-fascist action with full political independence and freedom of mutual criticism between its participants. To do so, call the PSOL, PSTU, PCB, OCP, PCR, READ, MEPR, AND, TPOR, ASS, O.C. critical Weapon, LOI, NATE, LPM, LM, CL, LQB, LBI, RR, ... for the establishment of sessions to organize our unity of action in defense of our flags, symbols and instructions of the physical integrity of each member and organization in mass demonstrations.











POR UMA FRENTE ÚNICA ANTIFASCISTA EM DEFESA DE NOSSAS BANDEIRAS

A direita está caçando e expulsando
a esquerda das manifestações
Por uma frente única antifascista para derrotar a
manipulação dos protestos de massa pela direita!







Se dependesse das tradicionais organizações de massas (Centrais sindicais, Federações, Associações e sindicatos) e de vanguardas (partidos oportunistas, reformistas e centristas), o movimento de massas que se nacionalizou nos últimos dias não existiria. As primeiras estão cooptadas principalmente pelo governo federal, as segundas estão polarizadas pelo PT ou pela oposição de direita (PSDB, DEM, PPS), STF, etc. As atuais manifestações nasceram de uma profunda e crescente insatisfação popular que teve como gota d´água a brutal repressão policial contra as manifestações de protesto pela redução do preço das passagens e pelo passe livre nos transportes coletivos. Sem dúvida o movimento nasceu de forma espontânea e esta foi sua força inicial. Mas o que até esta terceira semana de junho consistiu na força do movimento, a rebelião semiespontânea da juventude, começa a revelar-se sua debilidade.


A reação ideológica que ganhou força desde a restauração capitalista na URSS e Leste Europeu, o rechaço popular legítimo aos partidos oportunistas da esquerda tradicional, integrados aos governos Lula e Dilma, e o próprio fato de que as ideias e preconceitos dominantes são as ideias da classe dominante favorecem a capitalização da insatisfação popular pelo antipartidarismo e pela direita reacionária travestida de nacionalista, da ética na política, etc. Com a ajuda da grande mídia reacionária, à direita, que já há alguns anos tenta ganhar as classes médias e criar manifestações de rua artificiais "contra o mensalão", agora se camufla de manifestante e levanta a cabeça por dentro dos protestos e, para isso, começa caçando e expulsando a militância de esquerda dos atos.




EM DEFESA DO DIREITO DE MANIFESTAÇÃO E ORGANIZAÇÃO PARTIDÁRIA

Como agravante, o caráter horizontalista, semi-autonomista de sua direção, o Movimento pelo Passe Livre, possibilita facilmente a infiltração e o assalto do movimento pela direita fascista que precisa expulsar a esquerda de suas manifestações para melhor manipulá-las. Os ataques as bandeiras e militantes do PCO, PCR, PSTU que vimos recentemente em rede nacional de TV são um exemplo do que estamos dizendo. Deste modo, o  revolucionarismo anti-partido germina o fascismo. De forma prática mas empírica, nas manifestações do dia 17/6, a LC realizou uma frente de ação com o PCO contra a direita e policiais infiltrados. Mas esse tipo de frente não é suficiente, é necessário planificar nossa defesa, organizando-a a partir de uma plenária das organizações que se reivindicam da classe trabalhadora por uma frente única de ação antifascista com plena independência política e liberdade de crítica mútua entre seus participantes. Para tanto, chamamos o PSOL, PSTU, PCB, PCO, PCR, LER, MEPR, AND, TPOR, ASS, O.C. Arma da Crítica, LOI, NATE, LPM, LM, CL, LQB, LBI, RR,... para à constituição de plenárias para organizar nossa unidade de ação em defesa de nossas bandeiras, consignas, símbolos e da integridade 
física de cada militante e organização nas manifestações de massa.


Δεν υπάρχουν σχόλια:

Δημοσίευση σχολίου